NegóciosMulheres Inspiradoras

Dolores Schmoller: A simplicidade e o carinho com os clientes e colaboradores é a chave para o sucesso da empresária

 A vida da empresária Dolores Schmoller, de 69 anos, foi marcada por muitos desafios. Natural de Botuverá/SC, trabalhou na agricultura até os 40 anos, quando adquiriu um pequeno mercado em Lontras/SC, e hoje é o maior supermercado da cidade.

O pai, instrutor de fumo, passava a semana fora, enquanto Dolores, a mãe e os irmãos trabalhavam na plantação de fumo, faziam açúcar e farinha de mandioca. “Acordávamos as 2h e andávamos 8km de carroça para chegar ao engenho. Nos dias frios, éramos obrigados a fazer fogo para esquentar as mãos e conseguir trabalhar”, relembra.

Apesar das dificuldades, Dolores sempre gostou da vida na agricultura. Casou-se com Wilson Schmoller e continuou tendo como fonte de renda a agricultura. “Meu marido era natural de Ituporanga/SC. Ele foi trabalhar em Botuverá e nos casamos. Chegamos a morar em outras cidades, até que decidimos comprar um terreno em Braço Concórdia [Lontras]”, relembra.

Empreendedorismo

O casal vivia da agricultura, e após se mudaram para Lontras surgiu a oportunidade de empreender. Uma tia de Dolores tinha um minimercado na região, de apenas 80m², e ofereceu para o casal. “Eu não queria comprar, estava feliz com a vida na agricultura. Mas, meu marido tinha uma visão de futuro”. Dolores relembra que o mercado era pequeno, com assoalho e prateleiras de madeira. “Quando andávamos as mercadorias até caiam, pois, o piso era muito velho”.

Foram três anos de negociações, até que adquiriram o mercado. O começo foi difícil, pois segundo Dolores ela não sabia nem usar uma calculadora. “Quando ele quis fechar o negócio até falei que aceitaria, mas não voltaria para a roça. Foi uma dificuldade tremenda, mas com fé chegamos lá”.

Com o tempo realizaram melhorias na estrutura e construíram um novo mercado, com 260m². O novo espaço abrigou o Schmoller por 15 anos. “Trabalhamos muito. Tive que aprender tudo, desde me relacionar com os clientes, até a fazer compras e contas”, comenta a empresária. Com a ajuda dos quatro filhos, foram crescendo e tornaram-se referência na região.

Além do supermercado, dona Dolores é sócia na Rede Top, criada em 2002 por um grupo de empresários supermercadistas, que se uniram para comprar produtos e baratear o custo de produtos. Atualmente são seis associados com 28 lojas em 14 municípios. Os filhos trabalham dentro das empresas, auxiliando na administração.

Mudanças e desafios

Com visão empreendedora, Wilson Schmoller começou a adquirir lotes nas proximidades e, quando o espaço ficou pequeno para a demanda, começaram a construção da atual estrutura, de 4 mil m².

A inauguração foi em 2008 e, apesar de positiva, a mudança trouxe muitos desafios. “O primeiro ano foi muito dolorido, trabalhamos no vermelho, pois quando estávamos lá não tínhamos nem 20 funcionários, as despesas eram poucas. Com a vinda para o novo ponto, aumentamos as despesas em 80% e os clientes falavam que o mercado era de rico, não de colono como tínhamos”, comenta a empresária.

Tudo parecia ir bem, as dificuldades superadas e o mercado a todo vapor. Porém, um incêndio de grandes proporções atingiu a estrutura. Na madrugada de domingo, 29 novembro de 2014, as chamas tomaram conta de mais de 60% da estrutura do supermercado, atingindo o depósito, escritório e o mezanino. “Estávamos viajando neste dia, e eu tive um mau pressentimento e quis voltar. Era meia-noite quando os vizinhos nos chamaram informando que estava pegando fogo no mercado. Foi um dia muito triste para nós”.

Com uma filial na cidade, todos os funcionários foram remanejados e o atendimento não parou durante a reforma. “Nesse momento vi quantos amigos tínhamos, como nossos clientes e colaboradores nos querem bem”, comenta.

A grande perda

Muitos desafios foram superados ao longo dos 28 anos de mercado. Mas, o mais difícil Dolores passou ao lado dos filhos. Em janeiro de 2016 o marido Wilson Schmoller faleceu. “Ele estava comigo no quarto, eu saí para desligar o fogão e quando voltei encontrei ele morto na cama. Foi um infarto fulminante”, explica.

A perda do companheiro, que tanto a motivava e inspirava, foi o maior desafio enfrentado pela família. Muito querido por todos, o empresário deixou um grande legado, que dona Dolores faz questão de manter. “Me mostrei forte para meus filhos, de cabeça erguida, também aos funcionários, que eu tinha força para ajudar eles e aos clientes que eu estava bem. Por fora estava bem, mas por dentro morta. Foi muita dor”.

Mãe, avó e mulher   

Além de empreendedora, dona Dolores é um exemplo de mãe para os filhos e netos. Muito família, diz que ainda gosta de cuidar da casa, faz almoço diariamente e vive uma vida comum. “Faço pilates, vou ao mercado todos os dias, faço meu almoço e nas horas vagas gosto de ouvir música”.

HOMENAGEM

Toda essa dedicação da empresária é reconhecida. Recentemente os colaboradores a homenagearam: “Há muito tempo este lugar deixou de ser apenas um trabalho. Aqui também é uma escola, a nossa segunda casa, e um lugar onde se pode construir amizades. Conhecemos muitos valores aqui dentro. Somos gratos por transmitirem a essência da família Schmoller em nosso dia a dia. O nosso sucesso é reflexo da determinação de cada um de nós. Agradecemos por tudo!”

Assine nossa Revista

Garanta sua assinatura e receba a revista em casa!